Fale Conosco pelo MSN ou Skype

 25 DE SETEMBRO DE 2018

Email
HOME
QUEM SOMOS
Capacitação
Consultoria
PESQUISAS
NOTÍCIAS
Editorial
Destaques
Artigos / Entrevistas
Logística
Trânsito
Multimodalidade
Empresas
Comex - Mundo
Economia
Mercosul / Cone Sul
Tecnologia
Política
Legislação
Eventos e Cursos
Agência Intelog
ASSINE GRÁTIS
TODAS EDIÇÕES
INTELOG WIDGET
INTELOG TICKER
RSS
Entre em Contato
Tornar página inicial
Adicionar aos favoritos
Mapa do Portal
Recomendar
Imprimir esta página
Translate This Page

  Tempo



 

  Ferramentas

Calcule o tempo e as rotas para sua viagem
Show My Street - Passeio virtual pelas ruas do mundo
Flightradar 24 - Tráfego Aéreo em Tempo Real
Dados e Informações de Todos os Países do Mundo - IBGE
Veja a hora em tempo real no mundo todo - TimeTicker.com
Leia jornais de todo o planeta - Newseum.org

  24/09/2018   CNT defende criação do Indicador de Desempenho das Obras de Infraestrutura - Em um cenário de restrição orçamentária, a otimização da apl...     24/09/2018   Equipe de Bolsonaro delega área de infraestrutura a militares da reserva - O candidato Jair Bolsonaro (PSL) decidiu entregar a militares ...     24/09/2018   Teatro a Bordo encanta mais de 2 mil pessoas em Santana de Parnaíba - Por meio do Instituto CCR e apoio da CCR ViaOeste, o caminhão-palco...     24/09/2018   Marcelo Boaventura assume o comando da CCR ViaOeste e CCR RodoAnel - Movimento é parte de um novo ciclo na gestão da empresa e tem por ob...     24/09/2018   Triunfo Transbrasiliana realizará Pit Stop de Saúde na Praça de Pedágio de Vera Cruz - Encerrando programação da Semana Nacional de Trâns...     24/09/2018   CART repassa mais de R$ 10 milhões em ISS no 1º semestre de 2018 - Imposto contribui com desenvolvimento de 34 municípios por onde a rodo...     24/09/2018   ViaQuatro apoia a "Semana Move", ação que incentiva prática de atividades físicas - Ações gratuitas vão levar aos passageiros da Linha 4-...     24/09/2018   França vai testar trens híbridos em rotas regionais - A França deve testar operação de rotas ferroviárias regionais servidos por trens hí...     24/09/2018   Alemães desenvolvem Trem de Carga de Alta Velocidade - O transporte de cargas poderá ser feito por meio de trens de alta velocidades no f...     24/09/2018   China passa a contar com 25 mil km de vias para trens de alta velocidade - Foi inaugurado em 23 de setembro, uma nova linha de trem de al...  
Translate to EnglishTraducir al EspañolÜbersetzung der Deutschen意大利語翻譯Traduit en FrançaisTraduci in Italiano

Clique para ampliar

12/09/2018

EPL explica na Fiesp Plano Nacional de Logística ajustado para 2035

Logística

Translate to EnglishTraducir al EspañolÜbersetzung der Deutschen意大利語翻譯Traduit en FrançaisTraduci in Italiano

Nota

?

0 votos

O Plano Nacional da Logística foi tema de reunião nesta quarta-feira (12 de setembro) do Conselho Superior de Infraestrutura da Fiesp (Coinfra). A exposição do plano foi feita por Jorge Bastos, presidente da Empresa de Planejamento e Logística (EPL), e Adailton Cardoso, seu diretor de Planejamento.

Ao abrir a reunião, o presidente do Coinfra, Marcos Lutz, citou o momento muito complicado para a infraestrutura no Brasil, devido à dificuldade para saber o que vai acontecer no curto prazo.

Bastos disse que a elaboração do plano partiu da premissa de conversar com todos os atores. Depois de ter o prazo reduzido de 35 para 25 anos, a EPL decidiu reabrir a discussão e voltar ao prazo original.

A ideia é oferecer a quem ganhar a eleição presidencial um plano discutido por todos, que interesse ao país, e não que atenda a demandas particulares.

Adailton Cardoso explicou que trechos rodoviários, ferroviários e aquaviários que haviam ficado fora do PNL podem ser incorporados à nova versão. O diretor de Planejamento da EPL destacou a importância do Observatório Nacional de Transporte e Logística, no site da empresa, um repositório de dados sobre o setor.

O PNL deve considerar todos os modais e toda a movimentação de carga no Brasil, devendo levar a maior eficiência, melhor qualidade e menor custo, entre outros avanços. Deve tornar mais previsível o planejamento, trazer inovações metodológicas e tecnológicas, injetar conhecimento no governo, criar matriz mais eficiente de transporte, reduzir os custos logísticos, racionalizar o investimento e ter transparência.

A projeção para 2025 serviu como aprendizado para criar a perspectiva para 2035. Há no momento monitoramento de 26.229,4 km de malha, com a identificação de gargalos logísticos. Isso serviu de base para definir acordo com o BNDES para estruturar projetos de infraestrutura, inicialmente em rodovias.

A consulta pública do PNL teve 434 contribuições, com cerca de 25% ligadas ao modal aquaviário. O próximo passo é realizar nova simulação, com as matrizes O/D para 2035 (e posteriormente para 2050). Estão em curso reuniões –a primeira esta na Fiesp- com entidades públicas e privadas.

Cardoso apresentou 6 cenários de simulação, tentando abarcar todas as possibilidades.

Em dezembro deve ficar pronto e ser apresentado o relatório final do PNL, disse.

Bastos destacou a importância da análise dos cenários e pediu contribuições a partir disso.

Lutz perguntou como um agente privado deveria analisar o plano visando a investir. Qual é o investimento privado previsto no PNL? Onde há demanda privada por investimento?

Segundo Bastos, acordo com o BNDES dá ao banco a formatação financeira e à EPL a técnica de projetos. Os trechos escolhidos, explicou, “têm cheiro de PPP ou de concessão”, são viáveis para o investimento privado.

Manuel Carlos Rossitto, presidente interino do Consic, destacou a importância de viabilizar projetos. Relatou a experiência do Observatório da Construção, mantido pela Fiesp, que mostra obstáculos ao investimento. Crédito, segurança jurídica e carga tributária impedem que as contas fechem na hora da contrapartida. Ponto importante, destacou Rossitto, são as garantias, por parte do Estado e da iniciativa privada, sem o que não há financiamento. “Temos que ter uma matriz de risco”, defendeu – no que foi apoiado pelo presidente da EPL.

Questões

“Por que a cabotagem no Brasil não funciona?” foi a pergunta feita por Bastos. “Essa questão precisa ser debatida”, disse. Os custos portuários no Brasil não permitem o frete curto, lembrou Lutz. Outras questões levantadas na discussão do Coinfra foram o acesso ao porto de Santos e sua gestão e o baixo uso de dutos para transporte de commodities (por exemplo o etanol).

Fonte: FIESP

 

Por FIESP

 

Qual a sua avaliação?

0 Comentários - Faça o seu comentário

Voltar

Compartilhar

Clique para ampliar

Leia Também

CNT defende criação do Indicador de Desempenho das Obras de Infraestrutura

CCR MSVia informa que objeto na pista é ocorrência comum na BR-163/MS

Rota das Bandeiras realiza bloqueio em passagem inferior na região do Sam"s Club a partir desta terça-feira (25)

Horário de verão pode ser extinto

Ecosul divulga dados da Operação Farroupilha

Equipe de Bolsonaro delega área de infraestrutura a militares da reserva

Teatro a Bordo encanta mais de 2 mil pessoas em Santana de Parnaíba

Marcelo Boaventura assume o comando da CCR ViaOeste e CCR RodoAnel

Triunfo Transbrasiliana realizará Pit Stop de Saúde na Praça de Pedágio de Vera Cruz

CART repassa mais de R$ 10 milhões em ISS no 1º semestre de 2018

Mais...

 

Este site possui suporte ao formato RSS



Notícias em Tempo Real

   

Google
Pesquisa personalizada

       

 Powered by CIS Manager - Desenvolvido por Construtiva

Intelog - Inteligência em Gestão Logística