Fale Conosco pelo MSN ou Skype

 21 DE AGOSTO DE 2018

Email
HOME
QUEM SOMOS
Capacitação
Consultoria
PESQUISAS
NOTÍCIAS
Editorial
Destaques
Artigos / Entrevistas
Logística
Trânsito
Multimodalidade
Empresas
Comex - Mundo
Economia
Mercosul / Cone Sul
Tecnologia
Política
Legislação
Eventos e Cursos
Agência Intelog
ASSINE GRÁTIS
TODAS EDIÇÕES
INTELOG WIDGET
INTELOG TICKER
RSS
Entre em Contato
Tornar página inicial
Adicionar aos favoritos
Mapa do Portal
Recomendar
Imprimir esta página
Translate This Page

  Tempo



 

  Ferramentas

Calcule o tempo e as rotas para sua viagem
Show My Street - Passeio virtual pelas ruas do mundo
Flightradar 24 - Tráfego Aéreo em Tempo Real
Dados e Informações de Todos os Países do Mundo - IBGE
Veja a hora em tempo real no mundo todo - TimeTicker.com
Leia jornais de todo o planeta - Newseum.org

  20/08/2018   Ministro dos Transportes defende prorrogar contratos de concessões ferroviárias - O governo está convencido de que a prorrogação por 30 a...     20/08/2018   Para agentes do setor elétrico, ter uma tarifa mais barata exige redução de subsídio - Um dos desafios do novo presidente da República no...     20/08/2018   Atual desafio da Aneel é conter a escalada de subsídios que refletem nas tarifas, afirma novo diretor-geral - O novo diretor-geral da Ane...     20/08/2018   Neoenergia detecta 125mil casos irregulares em 4 distribuidoras em 1 ano - Nos últimos 12 meses, o grupo Neoenergia realizou mais de 400 ...     20/08/2018   Mercado livre responde por 30% da energia consumida no Brasil - O consumo de energia no mercado livre (não regulado) atingiu 18.046 MW mé...     20/08/2018   Para diretor da Aneel, tarifa de energia tem alta preocupante e poucas chances de queda no futuro - A conta de luz já aumentou quatro vez...     20/08/2018   Mercosul-Aliança do Pacífico: boas perspectivas - SÃO PAULO – A declaração conjunta que os países do Mercosul e da Aliança do Pacífico (M...     20/08/2018   Programa Saúde segue para Irajuba, Jaguaquara, Jequié, Manoel Vitorino e Boa Nova neste mês de agosto - Entre os dias 27 a 31 deste mês d...     20/08/2018   Investimento em infraestrutura no Brasil deve fechar 2018 em R$ 113,7 bi, diz Abdib - Desempenho seria leve melhora ante os R$ 110,4 bi d...     20/08/2018   Equipamentos para mobilidade não contam no limite de bagagens - Novo decreto vale para viagens rodoviárias interestaduais e internacionais.  
Translate to EnglishTraducir al EspañolÜbersetzung der Deutschen意大利語翻譯Traduit en FrançaisTraduci in Italiano

Clique para ampliar

15/04/2018

Vale aposta em navios mais eficientes para bater concorrência

Multimodalidade

Translate to EnglishTraducir al EspañolÜbersetzung der Deutschen意大利語翻譯Traduit en FrançaisTraduci in Italiano

Nota

?

0 votos

A mineradora brasileira Vale prevê receber no fim deste mês o segundo navio dos 32 Valemax de segunda geração da frota de cargueiros gigantes previstos para entrar em operação até o fim de 2019.

O navio, que chega no próximo dia 27, será o segundo do tipo Valemax de segunda geração a carregar minério de ferro no Porto de Tubarão, em Vitória, neste ano, em uma demostração de como a Vale trabalha para ganhar competitividade frente aos seus competitidores, que estão mais perto dos principais clientes, na Ásia.

As embarcações, com capacidade para transportar 400 mil toneladas, pertencem a outras empresas, mas foram construídas a partir de iniciativa da Vale. Os navios são os mais eficientes do mundo em emissões de gases do efeito estufa, segundo levantamento da mineradora —maior produtora e exportadora global de minério de ferro.

Em entrevista à Reuters, o diretor da Cadeia de Valor de Ferrosos, Vagner Loyola, afirmou que o aumento da frota a serviço da empresa com embarcações mais eficientes faz parte de uma estratégia para a entrega de sua crescente produção, com menores emissões e com fretes competitivos.

Além disso, segundo o executivo, a empresa caminha para concluir “em breve” negociações de contratos com armadores que resultarão na construção de novos navios de 325 mil toneladas, os chamados Guaíbamax.

“Os Valemax de segunda geração e também o Guaíbamax trazem um ganho de eficiência, exatamente pelo ganho de escala… e pelo menor consumo de combustível, com maior eficiência energética, que é o que leva à menor emissão de gases do efeito estufa”, afirmou.

No caso do Guaíbamax, a opção por estimular a construção de um navio com menor capacidade que o Valemax, apesar de ainda prometer elevada eficiência energética, vem em função da limitação para aportar os gigantes em determinados portos do mundo.

“O Guaíbamax, a gente está no momento em negociação com vários armadores, já fechamos com a maioria deles”, adiantou, evitando dar mais detalhes.

PRODUÇÃO CRESCENTE
O plano ocorre em meio ao desafio da companhia brasileira de levar sua produção crescente aos seus principais clientes, na Ásia.

O executivo não revelou expectativa de redução de custos ou valores contratuais, por serem informações estratégicas.

A Vale planeja produzir 390 milhões de toneladas neste ano, alta de 6,4 por cento ante 2017, e 400 milhões de toneladas por ano entre 2019 e 2022.

Atualmente, de 250 a 300 navios fazem o transporte de produtos da Vale, incluindo os 35 Valemax, VLOC (Very Large Ore Carrier), de 1ª geração, que já operam desde 2011, também com capacidade de até 400 mil toneladas.

“A Vale construiu a maioria (dos Valemax) da primeira geração, mas depois optou por vendê-los… vendeu para armadores, fez contatos de transporte marítimo com esses armadores, e esses armadores alocam os Valemax que eles compraram da Vale para fazer o transporte do nosso minério”, afirmou.

Por uma iniciativa estratégica, a Vale atualmente contrata o volume de minério de ferro a ser transportado e as empresas que decidem quais os navios que serão alocados.

A estratégia de não ser a próprietária dos navios, destacou Loyola, foi colocada em prática entre 2015 e 2016, em meio a um plano de desinvestimentos da Vale, e também em busca de reorganização de custos. Segundo o executivo, a estratégia hoje se mantém.

Entre 70 por cento e 74 por cento dos grandes navios que transportam cargas da Vale, com capacidade acima de 180 mil toneladas, fazem a rota para a China, país que está mais próximo dos principais concorrentes na Austrália: BHP Billiton e Rio Tinto.

EFICIÊNCIA
O novo modelo é o mais eficiente do mundo em emissões de gases do efeito estufa, segundo um levantamento da Vale, emitindo 41 por cento menos CO2 que um Capesize de 180 mil toneladas, construído em 2011, e que serviu de base comparativa para os Valemaxes de primeira Geração, até então os navios mais eficientes.

Comparados com os capesizes mais novos, construídos em 2017, o Valemax de segunda geração emite 28 por cento menos CO2. O levantamento foi feito com base no Índice de Design de Eficiência Energética (EEDI, na sigla em inglês), adotado pela Organização Marítima Internacional (IMO, na sigla em inglês), cujo cálculo considera a emissão de CO2 por tonelada de carga vezes a distância em milhas náuticas.

“Essas iniciativas da Vale, de incentivar a construção desses supergraneleiros que são… mais eficientes em termos de emissão de gases do efeito estufa estão totalmente alinhadas com essa grande tendência mundial”, disse Loyola, destacando medidas mundiais contra o aquecimento global. Para confirmar a eficiência superior da embarcação, técnicos da área de Navegação da Vale a compararam com uma base de dados de 2.769 embarcações dos mais variados tipos.

Fonte: Reuters

 

Por REUTERS

 

Qual a sua avaliação?

0 Comentários - Faça o seu comentário

Voltar

Compartilhar

Clique para ampliar

Leia Também

Ministro dos Transportes defende prorrogar contratos de concessões ferroviárias

Equipamentos para mobilidade não contam no limite de bagagens

Labace 2018 recebe mais de 10 mil pessoas ao longo de três dias; uma empresa confirmou a venda de quatro aeronaves e outras negociações foram iniciadas no evento

Balsa que faz travessia entre São Sebastião e Ilhabela é retirada para reparos

SAC anuncia mudanças na nova rodada de concessões aeroportuárias

Para agentes do setor elétrico, ter uma tarifa mais barata exige redução de subsídio

Atual desafio da Aneel é conter a escalada de subsídios que refletem nas tarifas, afirma novo diretor-geral

Neoenergia detecta 125mil casos irregulares em 4 distribuidoras em 1 ano

Mercado livre responde por 30% da energia consumida no Brasil

Para diretor da Aneel, tarifa de energia tem alta preocupante e poucas chances de queda no futuro

Mais...

 

Este site possui suporte ao formato RSS



Notícias em Tempo Real

   

Google
Pesquisa personalizada

       

 Powered by CIS Manager - Desenvolvido por Construtiva

Intelog - Inteligência em Gestão Logística